Fashion Law

A Nova Era das Marcas e o sistema jurídico

A cada época que se vive, é possível enxergar mudanças acontecendo a todo o momento, seja ela interior ou exterior, afetando assim a sociedade de um modo geral, desde o comportamento de grupos sociais até o mercado profissional. A terceira década do século XXI traz como um dos pontos cruciais para o planejamento e sobrevivência das empresas, a análise de comportamento do consumidor. O modo de comunicação da sociedade está cada vez mais dinâmico, e o acesso à informação foi democratizado para atender a um público que está sempre em movimento, visando acelerar e aproveitar ao máximo o tempo que cada sujeito possui, das já não mais suficientes 24 horas do dia.

Do ponto de vista tecnológico o mundo está mais inteligente, mas do ponto de vista de ações de usuários e consumidores nas redes sociais, não se pode dizer o mesmo, tendo em vista existir atualmente os chamados crimes cibernéticos, que vão desde o racismo e cyberbulling até violações a Direitos Autorais, Direito de Imagem e propaganda enganosa no que diz respeito ao Direito do Consumidor em era digital.  Nos dias de hoje torna-se fundamental estar conectado e gerar aproximações virtuais, referenciais de pesquisa, compras, credibilidade e formação da identidade pessoal e empresarial de cada usuário.

A rede social é uma ferramenta que a princípio foi criada para facilitar conexões entre os usuários, mas com uma mudança de comportamento e uma cultura capitalista o seu foco foi mudando, e cada vez menos interação espontânea está sendo gerada. Paralelo a isso, se tem o que se chama hoje de algoritmos dessas redes que estão em constante mudança, ficando a critério destas plataformas quando algum conteúdo é de fato relevante ou não.

Desde o ano de 2016 a rede social Instagram, e uma das mais usadas atualmente para divulgação de produtos e serviços, fez uma mudança considerável no seu sistema. Os antigos usuários da plataforma podem lembrar que todo o conteúdo postado era visto por ordem cronológica, o que não mais existe, já que a rede agora funciona através de algoritmos, ou seja, um sistema computadorizado que decidirá o que os usuários irão ver.

As relações antes offline migraram-se para o online, saindo de um ambiente mais “palpável” e indo a um universo “imaterial”, que também é regido por Leis e algumas obrigatoriedades com intuito de não banalizar o futuro do mercado com as tecnologias e mídias digitais. Se tornar referência e ser relevante nas redes em determinada área do mercado, seja um produto ou serviço é fundamental para ser notado, principalmente com tantas mudanças de comportamento não só da sociedade, mas das próprias plataformas sociais.

Aliar o Direito em era digital fará com que o mercado na internet cresça de maneira mais saudável e valorizada, atendendo à dinâmica das tendências de consumo e de mercado, sem limitar nenhuma liberdade de expressão, assegurando àqueles que trabalham online um ambiente profissional e mais qualificado, evitando impasses por falta de formalizações e esclarecimentos de trabalhos via plataformas digitais através de contratos e observância às obrigatoriedades da Lei e ao marco civil da Internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *