Fashion Law

A seda e a produção sustentável na indústria da Moda

O que você sabe sobre o Vale da Seda?
Já ouviu falar alguma vez?
Provavelmente você leitor já deve ter escutado ou tocado em uma peça de roupa no qual o seu material de composição é a seda, mas já parou pra pensar no que tem por trás dessa confecção?

Imagem2
O Além da Imagem hoje irá falar sobre uma pesquisa realizada pela advogada presidente da Comissão de Direito da Moda da OAB Maringá, Fernanda Fontes, no qual além do seu precioso trabalho, esta também teve a oportunidade de apresentá-lo no II Seminário Internacional de Direito da Moda – OAB/RJ, realizado em outubro deste ano.

Imagem3

Todas as informações colocadas aqui foram fornecidas pelo trabalho e estudo da advogada com intuito de mostrar uma produção sustentável, que gera empregos, renda e está inteiramente ligada aos três tipos de sustentabilidade que se discute atualmente: Social, ambiental e empresarial.
O Vale da Seda surgiu em 2009 e está localizado no noroeste do Paraná, que engloba 29 municípios e o seu fio é considerado o melhor do mundo em decorrência do clima e solo em que é cultivado.

Imagem1

O Paraná atualmente concentra cerca de 92% da produção do Brasil de casulos de bicho-de-seda, contribuindo significativamente para a redução do êxodo rural, ou seja, geração de empregos para cada hectare plantado com amoreira. Estes preciosos fios são exportados para outros países, tais como Ásia, Europa e Estados Unidos.

Imagem12
A sua produção de um modo resumido, ocorre da seguinte maneira: O bicho-da-seda tece o casulo em cerca de três dias e após é feita uma seleção pelos sericultores, onde no momento de sua venda será realizada a pesagem e classificação destes. Quanto maior a qualidade do casulo maior o preço final do quilo.
É importante lembrar que não se utilizam agrotóxicos nas amoreiras e a seda é a única fibra que gera crédito de carbono no momento da produção.
E sabe o que é mais curioso? Cada casulo é formado por um só fio que pode chegar até 1.200 metros.

Imagem4

Todo o processo de produção desse fio possui também uma destinação correta, onde ao final o bicho-da-seda é utilizado como ração para peixes, chamadas nessa fase de crisálidas.
Seguem algumas marcas que já utilizaram desse produto especial encontrado no Vale da Seda:

Imagem7Ronaldo Fraga – Inverno 2016 SPFW

Imagem11Osklen – Verão 2013 Nova York

Imagem5Lenços de seda produzidos com a matéria-prima do Vale da Seda.

Essa matéria representa não só um trabalho incrível realizado em território nacional no estado do Paraná, mas também mais uma prova de como Moda e Direito estão diretamente conectados em suas minúcias, e foi isso que a pesquisa da advogada de Direito da Moda, Fernanda Fontes mostrou com toda riqueza de informações passadas.

Fonte: Vale da Seda e trabalho de pesquisa da advogada e presidente da Comissão de Direito da Moda OAB/Maringá-PR, Fernanda Fontes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *