Sem categoria

Apropriação Cultural e Fashion Law

Você sabe o que é apropriação cultural?
Esse é um tema que vem gerando muitas polêmicas e debates, principalmente no mundo da moda.
Apropriação cultural de acordo com a especialista Susan Scafidi em seu livro “Who owns culture?”, é o ato de “tomar” para si outras culturas, expressões, histórias e outras formas de saber de um costume que não pertence a você.

O fato de um sujeito utilizar de características próprias de uma comunidade e não conhecer as tradições de determinado grupo é onde mora o problema, tendo em vista que na maioria das vezes o que está sendo apropriado tem um significado religioso, um sofrimento e história por trás de um objeto explorado sem autorização.
Então, pergunta-se: Qual seria o efeito de uma cultura ou bem compartilhado de modo geral?

khai-sze-ong-308074Foto: Unsplash – Khai Sze Ong

A princípio pode-se dizer que “popularizar” uma cultura poderia desvalorizar a mesma e toda uma história, motivo pelo qual o tema é tão polêmico.
Muitas marcas de moda costumam inspirar tendências e coleções em outras culturas e é onde os debates costumam surgir, pois no momento de ter uma inspiração em diferentes costumes é necessário que se tenha entendimento do mesmo, principalmente quando se trata de fins comerciais e publicitários.

slave-castle-947762_1920Foto: Pixabay

Casos polêmicos também envolvem a questão do uso do turbante, já que tem toda uma história por trás da utilização deste e da cultura negra, e o seu uso sem atentar às essas questões poderia se tornar algo banalizado e trivial.
É preciso saber diferenciar uma cultura de uma tendência, já que a primeira como dito anteriormente é repleta de um contexto de como determinado grupo foi tratado, e mais uma vez objetos, acessórios e vestimentas são repletos de significados e vão muito
além da sua imagem.
Apropriação cultural envolve sociedade, política, racismo, segregação e uma série de fatores que devem ser observados com o intuito de não desrespeitar uma comunidade no momento em que talvez você queira apenas homenagear ou inspirar-se em um costume ou grupo, seja ele negro, indígena, árabe, folclórico ou asiático e por aí vai.
É necessário um estudo aprofundado do significado de cada objeto e de todo o contexto histórico para representar algo de forma correta, seja uma estampa de coleção ou um tema de desfile, e assim evitar controvérsias, como o que ocorreu no desfile da Valentino em 2016, trazendo elementos africanos em modelos brancas.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *